Finalidade Economia Notícias Projetos Investimentos Anuncie Mapa do Site English
  RONDÔNIA  

Geografia

 

Localização: oeste da Região Norte.

Área: 238.512,8Km²

Relevo: planície a O, depressões e pequenos planaltos a N, planalto a SE.

Ponto mais elevado: serra dos Pacaás (1.126m)

Rios principais:  Madeira, Ji-Paraná, Guaporé, Marmoré

Vegetação:floresta Amazônica e cerrado a oeste

Clima: equatorial

Nº de Municípios:52 (1999)

Municípios mais populosos: Porto Velho (309.750), Ji-Paraná (93.346), Cacoal (75.171), Ariquemes (73.228), Jaru (47.126), Vilhena (46.482), Rolim de Moura (43.699), Ouro Preto do Oeste (40.443), Guajará-Mirim (39.853), Pimenta Bueno (31.710) (est. 1999).

Hora local: 1h

Habitante: rondoniano.

População 1.296.856 (esta 1999)

Densidade:5,44 hab. /Km²

Crescimento demográfico: 1,5%  ao ano (1991 - 1996)

Migração interna:57,84% (1997)

IDH: 0,82 (1996)

 

Saúde

 

Mortalidade infantil: 34,76‰ (1998)

Médicos: 4,62 por 10 mil hab. (1999)

Leitos hospitalares: 2,6 por mil hab. (1999)

Hospitais públicos: 90 (1999)

 

Educação crianças de 7 a 14 anos fora da escola: 14,9% (1999)

 

Matrículas no ensino infantil: 2.276 (1999)

Matrículas no ensino fundamental: 322.870 (1999)

Matrículas no ensino médio: 45.674 (1999)

Matrículas no ensino superior: 9.306 (1998)

Analfabetismo: 7,58% (1996)

 

Governo

 

Governador: José de Abreu Bianco (PFL)

Tel. Governo de Estado: (69) 223-1176

End. Internet:

Tel: Assembléia Legislativa: (69) 224-7600/224-4898

 

Senadores: (3)

 

Amir Lando (1)               PMDB

Ernandes Amorim    PPB

Moreira Mendes       PFL

 

Deputados federais: (8) 

 

Agnaldo Muniz         PDT

Confúcio Moura        PMDB

Eurípedes Miranda    PDT

Expedito Júnior         PFL

Marinha Raupp         PSDB

Nilton Capixaba        PTB

Oscar Andrade          PFL

Sérgio Carvalho        PSDB

 

Deputados estaduais: 24

 

Eleitores: 836.179 (1998)

 

 

Capital Porto Velho

 

Data de fundação: 2/10/1914

Altitude: 85 m

Área: 34.209,5 Km²

Habitante: porto-velhense

População: 309.750 (est. 1999)

Prefeito: Carlos Alberto de Azevedo Camurça (PDT)

CEP: 78.900-000

Tel. Prefeitura: (65) 224-5943/224-6228/224-6317

End. Internet:

Tel. Câmara: (65) 225-1785/225-1716/225-1160

End. Internet:

Telefonia: TELERON – Tele Centro Sul: (65) 105-4111/105-4114

9 ESTADOS -  Rondônia   

 

Uma história de desbravamento

 

Até o século XX, a região do Estado de Rondônia, no oeste da Amazônia, era praticamente desconhecida dos brasileiros. Antes disso, apenas alguns bandeirantes procuraram explorá-la, em busca de ouro e pedras preciosas. A trilha dos bandeirantes foi retomada em 1907 por um major do corpo engenharia militar, Cândido Mariano da Silva Rondon, encarregado de estender o telégrafo de Cuiabá para o alto Purus e o alto Juruá. A primeira expedição de Rondon foi atacada pelos índios nhambiquaras, em outubro daquele ano, às margens do rio Juruena. Rondon foi obrigado a recuar , mas voltou nos anos seguintes, até completar sua missão. Ele se recusava a atacar a população indígena. Pelo contrário, procurava por todo os meios protegê-la. "Morrer, se necessário. Matar, nunca", era seu lema. Embora a população de Porto Velho tenha aumentado cerca de 60% entre 1970 e 1980 (de 84 048 para 133 898 habitantes), ela ainda não possui um comércio desenvolvido. A indústria, em fase de implantação, abrange apenas alguns estabelecimentos de preparação de borracha, serrarias, olarias e fábricas de mosaicos.

 

Porto Velho e a estrada de ferro 

 

As origens de Porto Velho estão ligadas à construção da Estrada de Ferro Madeira - Mamoré, iniciada em 1907, como parte do acordo firmado entre Brasil e Bolívia, no momento da compra do Acre (1903). Essa ferrovia foi construída pela empresa norte-americana May Jechyl & Randolph (do magnata Percival Farquhar) para escoar a produção de borracha da região a oeste do rio Madeira, que lá não é navegável, devido às corredeiras. Partindo de Guajará-Mirim (na fronteira com a Bolívia), a ferrovia percorria mais de 300 km em território brasileiro, na direção leste, acompanhando o rio Madeira até o trecho em que ele se torna navegável. Nesse trecho, a borracha era embarcada me navios que a levavam ao Atlântico, através do Amazonas. Esse pequeno porto é que deu origem a Porto Velho. Inicialmente, a vila de Porto Velho foi sendo povoado pelos próprios funcionários da Madeira - Mamoré e por comerciantes de borracha. Mas o desenvolvimento foi tão rápido que a vila foi elevada à categoria de cidade já em 1919

9  ESTADOS – Rondônia    

 

 

Em dezembro de 1981, uma nova estrela passou a brilhar na bandeira do Brasil. Trata-se de Rondônia, o 23.° Estado da federação, uma terra cheia de aventuras e aventureiros em busca das riquezas naturais que o Estado oferece: madeira, cacau, ouro, borracha e as preciosas minas de estanho.

 

Desmembrado do Estado de Mato Grosso, foi criado, em 1943, o território de Guaporé. Em 1956, passou a se chamar Rondônia, em homenagem a Rondon, o grande desbravador dos sertões mato-grossenses. Finalmente, a 22 de dezembro de 1981, Rondônia tornou-se o 23.° Estado brasileiro. Sua área 238513 km²) é mais ou menos equivalente à do Reino Unido e à do Estados de São Paulo. Porto Velho, a capital, situa-se às margens do rio Madeira. Liga-se a Guajará-Mirim por ferrovia e a Cuiabá por rodovia. O clima é quente e úmido, e a temperatura média anual é de 26°C. O grande número de rios navegáveis facilita o transporte, beneficiando a indústria extrativista, base da economia do Estado.

 

Borracha e estanho

 

Em 1970, Rondônia tinha 111.064 habitantes. Dez anos depois, a população aumentara para mais  de 490 000 pessoas. Esse crescimento aconteceu sobretudo por causa dos projetos de colonização implementados pelo Incra, que desde a década de 70 passou a distribuir lotes de terra aos lavradores, estimulando várias culturas, como a de borracha, mandioca, milho, cacau, café, arroz e feijão. De todas essas culturas a que mais recebe incentivos é a de borracha, que obteve, em 1980, a maior parte do crédito agrícola. O objetivo desses incentivos é rentabilizar o cultivo comercial das seringueiras, de modo que o Brasil se torne novamente um dos principais exportadores de borracha. Em 1960, foram descobertas ricas jazidas de cassiterita - mineral que dá origem ao estanho. Desse modo, a extração de cassiterita passou a ser a atividade mais importante de Rondônia, que, por sua vez, se tornou o primeiro produtor nacional de estanho, com cerca de 8 000 t por ano. Em 1971, o Governo federal proibiu a exploração de cassiterita por garimpeiros independentes e o minério passou a ser lavado mecanicamente por empresas autorizadas pelo DNPM (Departamento Nacional da Produção Mineral). A expectativa do progresso rondoniano é tamanha, que se estima para o ano 2000 uma população de 1,5 milhão de habitantes no Estado.